Mulher perde R$ 100 mil em 'golpe do amor' em Maringá.

08/08/2017

Vítima conheceu golpista em um site de relacionamentos. Ela fazia depósitos acreditando que liberaria a chegada de pertences dele da Rússia para o Brasil.

Uma moradora de Maringá diz ter perdido cerca de R$ 100 mil em um golpe na internet, conhecido como "golpe do amor". A vítima, que não quis ser identificada, conheceu o golpista em um site de relacionamentos e trocava e-mails com ele.

A mulher conta que depositou o dinheiro na conta do golpista, a pedido dele, acreditando que pagava taxas para liberar a vinda de pertences dele da Rússia para o Brasil.

O homem dizia ser um engenheiro canadense, viúvo, que trabalhava em uma plataforma de petróleo na Rússia, segundo a vítima. Cheio de declarações de amor, ele demonstrava estar apaixonado. Além disso, dizia também que queria investir em imóveis no Brasil, segundo a vítima.

"Ele dizia que tinha comprado um anel de noivado e que tinha se apaixonado por mim. Dizia que eu era a mulher da vida dele. Demonstrava estar apaixonado e queria vir para o Brasil me conhecer", conta.

O golpe

Não demorou para a conversa do golpista mudar. Com a desculpa de que precisava de alguém para guardar objetos pessoais, ele pediu para enviar uma caixa para o endereço da mulher em Maringá.

"Num primeiro momento eu não aceitei, mas ele insistia. Dizia que não tinha ninguém para quem pudesse mandar e que sabia que eu era uma pessoa de confiança", afirma.

Segundo a vítima, o homem insistiu tanto que ela aceitou. "Ele pedia com certo desespero e até então eu não percebia que isso era um golpe", diz.

Depósitos

No entanto, para que os pertences pudessem chegar da Rússia até o Paraná era preciso pagar taxas a uma empresa de seguros responsável pelo transporte. A partir daí a mulher começou a fazer depósitos em contas correntes acreditando que estava liberando a bagagem.

"Perdi por volta de R$ 100 mil. Eu tinha R$ 25 mil na poupança e depois fui fazendo empréstimos em banco, consignados em folha de pagamento, e isso virou uma bola de neve", revela.

Fonte: g1.globo.com/parana