Lei que regulamenta UBER em Maringá é aprovada em 1° votação.

24/07/2017

A primeira etapa para a regulamentação de transportes por aplicativos, como o Uber, em Maringá, foi aprovada na sessão extraordinária desta segunda-feira (24/07). Seis emendas foram propostas e aprovadas e outras duas foram retiradas para votação na próxima sessão, que acontecerá na terça-feira (25/07).

O texto cria obrigações para que o serviço de transporte individual de passageiros que se utiliza de aplicativos possa atuar na cidade. Entre as emendas, estão a que retira do texto a exigência de que os carros dos motoristas precisem ser identificados por um disco, espécie de adesivo com o nome do aplicativo para o qual trabalham.

Também foi aprovada a obrigatoriedade de que a empresa do aplicativo seja licenciada no município, tenha uma sede própria e cumpra diversos requisitos. Os veículos à disposição desse tipo de serviço também deverão passar por vistoria da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

Para votação amanhã, ficaram as emendas de William Gentil, que estabelecem que apenas veículos licenciados em Maringá, Sarandi e Paiçandu possam atuar na cidade e a extensão em três anos da idade máxima dos veículos que podem ser utilizados, passando a ser de 10 anos, a partir da data de fabricação.

Representantes dos taxistas e dos motoristas da Uber assistiram à sessão e aplaudiram os vereadores durante a aprovação das emendas. Logo que tomou a palavra na tribuna, Carlos Mariucci foi vaiado por dizer que, "ideologicamente" era favorável aos taxistas, quando a discussão sobre o assunto começou em Maringá, já que "muitas empresas de fora levam o dinheiro daqui", mas foi aplaudido após afirmar que viu, ao longo das discussões, que há pontos positivos e negativos de todos os lados. "Não temos como impedir uma organização de aplicativos em Maringá e há muitos trabalhadores que sobrevivem.

Fonte: odiario.com