Gás de cozinha ficará 20% mais caro, segundo distribuidoras.

31/08/2017

Após uma série de reajustes anunciados recentemente pela Petrobrás, as distribuidoras de gás determinaram aumento de 20% no preço do produto a partir de setembro.

Atualmente o valor médio cobrado pelo produto na região de Curitiba é de R$ 81,12, com variação mínima de R$75,00 e máxima de R$ 90,00, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Bicombustível (ANP). 

Conforme informações do setor, o aumento da Petrobras, embora praticado no Preço de Compra das Companhias, chegam no mesmo percentual no preço de vendas das Companhias Distribuidoras. Considerando real o anuncio divulgado, que a Petrobrás anunciará para o próximo dia 05/09/2017, um aumento de 15%, referimos a um aumento equivalente a R$ 2,25 (15% de R$ 15,03). Mas seguindo as mesmas formas adotadas nos últimos aumentos pelas Companhias Distribuidoras, o aumento real que as revendas terão é de R$ 6,25 (15% de R$ 41,65).

Considerando as médias dos anos anteriores, nesta mesma época, o aumento devido a futuros acordos coletivos, antecipados, chegam de 10% do preço de compra da revenda. Sendo otimista, calculando este aumento no valor antes do aumento da Petrobras, teremos um segundo aumento de R$ 4,16 (10% de R$ 41,65)

As revendas e o consumidor brasileiro devem sentir um aumento no preço do botijão de gás de cozinha nesta realidade próximo dos R$ 12,00, sem contar os valores arredondados a mais pelas Companhias Distribuidoras, justificados por ser um preço livre e necessidades de ajustes de custos.

A ASMIRG-BR alerta para o risco deste aumento, inicialmente suposto em 15% pela Petrobras que equivale a R$ 2,25, mas por tratarmos de um preço livre, sem interferência do Estado Brasileiro, estes valores, com muito otimismo, deve chegar a R$ 10,00, para nossas revendas.

Fonte: rtvcanal38.com.br