Ex-miss Pinhais é apontada como mentora de sequestro de empresário.

25/09/2017

Ex-miss Pinhais, a publicitária Karina Reis, de 25 anos, foi apontada nesta sexta-feira (22) como mentora do sequestro de um empresário em Curitiba. A vítima foi encontrada em um cativeiro do bairro Jardim Botânico e Karina foi presa no mesmo dia por participação no crime. A reviravolta, segundo a Polícia Civil, está no fato dela ter trabalhado com o empresário e ter passado informações privilegiadas para o namorado e executor do crime, o policial militar Janerson Gregório da Silva.

De acordo com o delegado Cristiano Quintas, do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), a polícia acreditava em uma participação secundária dela, mas ao que tudo indica, ela é a mentora. "A Karina trabalhou no escritório de publicidade da vítima e, ao que parece, levantou informações sobre a vida e hábitos do empresário. Ela então teria passado essas informações para o namorado", explicou.

O delegado do Tigre comentou ainda Karina possuía um vínculo de amizade com a vítima em uma rede social e conhecia o modo do empresário agir nos negócios. "Ela sabia, por exemplo, que era um praxe da vítima não receber o contratante e ir até um local de encontro para fechar negócio. Sabia também horários de entrada e saída dele da empresa, então tirou esse caráter secundário de participação", disse Quintas.

Karina está presa no Complexo Penitenciário de Piraquara, assim como a mãe de Janerson. Caso seja condenada, a publicitária pode ter aumento na pena pela participação direta no crime. Além do cativeiro, eles também respondem pelo roubo do carro do empresário.

O crime

O soldado Janerson foi preso na noite de 29 de agosto, no bairro Jardim Botânico. O empresário foi rendido após combinar uma reunião de trabalho e levado para o local do cativeiro. A família foi acionada para o pagamento do resgate, que não chegou a ser pago porque policiais do Tigre conseguiram localizar a vítima.

De acordo com a PM, o empresário foi rendido ainda dentro do carro, quando chegava para a suposta reunião de trabalho. Os bandidos colocaram o ameaçaram com arma e o levaram para um local desconhecido. Ele foi amarrado, amordaçado e colocado no porta-malas.

Uma quarta pessoa responde pelo sequestro em liberdade.

Fonte: banbab.com.br