Ex-BBB é condenado a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável.

13/09/2017

 O ex-BBB Laércio de Moura foi condenado a 12 anos de prisão pelos crimes de estupro de vulnerável e armazenamento de materiais pornográficos envolvendo crianças ou adolescentes.

O curitibano, que participou do Big Brother Brasil 2016, está preso desde maio do ano passado na Casa de Custódia de Curitiba.

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MPPR), o ex-participante do reality show foi condenado em agosto deste ano, mas a decisão só foi divulgada na tarde desta terça-feira (12). Laércio foi investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) da Polícia Civil a pedido do MPPR e teve sua prisão preventiva decretada após o depoimento de uma jovem de 17 anos.

Segundo a garota, ela teve um relacionamento com Laércio em 2012, quando ela tinha apenas 13 anos. Eles teriam se conhecido em uma festa pública em Curitiba e começado a se relacionar pouco tempo depois, sem que a família dela soubesse.

Na época da prisão, a assessoria do ex-participante do reality show assumiu seu perfil no Twitter para confirmar o ocorrido e chegou a perguntar aos fãs se eles colaborariam com uma vaquinha para ajudá-lo a sair da prisão.

Participação no programa

Laércio foi eliminado do BBB em fevereiro de 2016. Durante o programa, ele virou alvo de polêmica nas redes sociais após ter sido apontado como pedófilo em uma briga com outra participante, Ana Paula. Em seu perfil no Facebook, Laércio também seguia páginas de armas, supremacia racial e a fanpage de uma participante do "MasterChef Júnior", de 12 anos, que sofreu com comentários de cunho sexual nas redes sociais em 2015.

Ele ainda teria "confessado" ser efebófilo, pessoa que sente atração sexual por adolescentes, além de ter relatado namorar jovens de 17 e 19 anos de idade. Após a polêmica, sua conta na rede social foi desativada.

Em junho de 2016, o ex-BBB também foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná por tráfico de drogas, mas absolvido.