Delegado Luiz Cláudio Alves, de Maringá não será mais transferido.

20/12/2017

O delegado operacional da 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá, Luiz Cláudio Alves, que também é chefe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, não será mais transferido para a Delegacia Regional de Reserva (região Centro Oriental do Estado), de acordo com informação divulgada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná na tarde desta terça-feira (19).

Segundo a assessoria, o delegado titular da 9ªSDP, Pedro Luiz Fontana, pediu que o colega não fosse transferido e a solicitação foi aceita. Na terça-feira passada (12), o Conselho da Polícia Civil havia remanejado o delegado em razão de adequação do quadro administrativo. No entanto, a transferência gerou bastante repercussão na cidade. A Câmara Municipal enviou uma moção de apoio ao secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita de Oliveira, elogiando o trabalho de Alves e pedindo sua permanência em Maringá. A Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol) também se manifestou contrária à transferência e disse que tomaria todas as medidas para que a mudança não ocorresse.

Houve a criação de abaixo-assinado na internet pedindo a permanência de Alves e o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, também se empenhou para que o delegado ficasse na cidade. Trabalhos De acordo com a Seção de Furtos e Roubos, o delegado operacional conduz cerca de 800 inquéritos e preside mais de 500 boletins de ocorrência. Entre os casos, está um que gerou polêmica recentemente: o caso de agressão e furto do celular do jornalista e blogueiro Angelo Rigon, em outubro deste ano. Os crimes teriam acontecido durante uma sessão da Comissão Processante (CP) que investigava o vereador Homero Marchese - atualmente, os trabalhos estão suspensos, por liminar do Tribunal.

Fonte: odiario.com