Advogado negro é detido ao transmitir ao vivo abordagem policial “abusiva”.

31/07/2017

O advogado Renato Almeida Freitas Júnior, foi detido neste domingo (30/07), nas imediações do estádio Couto Pereira, em Curitiba, depois de denunciar em uma transmissão ao vivo pelo Facebook uma abordagem policial supostamente abusiva e racista.

Na gravação, o advogado e um colega, que são negros, afirmam que foram ofendidos pelos policiais com "palavrões" e agressões verbais: "Falaram que queriam ver a gente enterrado, debaixo da terra... seus lixos", denunciaram.

Com a transmissão ao vivo ativada, os dois vão até os policiais e questionam a abordagem.

"Eu vou até eles ali, queri que vocês vissem isso aqui. É ruim, a gente está feliz e o cara vem e te humilha, eu não falei nenhuma palavra, mas agora eu vou falar... eu quero que ele repita na nossa frente quem é que é lixo, de quem ele tem nojo", falou.

Um dos policiais alega que o rapaz foi abordado por estar em "atitude suspeita" , argumenta que a abordagem foi normal, e ameça prender o advogado por desacato à autoridade. A dupla se afasta dos policiais com receio de que o celular seja tomado. Instantes depois a transmissão é interrompida.

O advogado e o amigo foram detidos e encaminhados à Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe), no Couto Pereira. Os dois foram presos por desacato e foram liberados depois de assinar um termo circunstanciado.

Em uma nova postagem no facebook, depois de deixar a delegacia, Renato contou detalhes do caso e agradeceu aos internautas pelo apoio que recebeu pelas redes sociais.

"Eu fui indevidamente preso, um abuso de autoridade brutal, infelizmente tão típico no cotidiano de Curitiba", lamentou.

Fonte: paranaportal.uol.com.br