Abaixo-assinado pede que Cadeia Pública de Sarandi mude de local.

08/08/2017

Um abaixo-assinado está percorrendo a cidade de Sarandi pedindo a retirada dos presos da cadeia pública, situada na Rua Guiapó, na área central da cidade.

A preocupação tanto da população quanto da prefeitura é em relação à quantidade de presos - atualmente são 162, mas a capacidade é para apenas 48. "Além de estar lotada, a cadeia fica próxima de colégios, creches, da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais)", conta o secretário de Trânsito e Segurança,Joel Inglês, que acrescentou que o imóvel está em situação precária, com infiltrações e vários problemas. Por conta de todos esses problemas e do medo que aflige a população, na última quinta-feira (03/08), o secretário, prefeito, advogados e representantes da comunidade se reuniram e tomaram a iniciativa de promover o abaixo-assinado.

Depois de coletadas as assinaturas, o documento será enviado para o Governo do Estado. A intenção é reunir pelo menos 10 mil assinaturas. Segundo um dos idealizadores do abaixo-assinado, o advogado José Wlademir Garbuggio, que também é morador da cidade, há riscos iminentes para as instituições que estão próximas da cadeia. "Imagina se aquilo ali desmonta?", questiona. Ele também lembra que os presos vivem em condição desumana. "O local já está interditado há anos e mesmo assim continua funcionando", lembra. Outra questão ressaltada pelo advogado e também pelo secretário de Trânsito e Segurança, é que muitos presos que são condenados deveriam cumprir a pena em penitenciárias, conforme a lei exige, porém permanecem na cadeia.

Interessados em assinar o documento podem ir até até a Secretaria Municipal de Segurança, situada na Avenida Ademar Bornia (paralela a Avenida Colombo). Ele também será disponibilizado em igrejas, no comércio e locais de grande circulação.

Há cerca de três meses a prefeitura enviou uma proposta para a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (SESP-PR), ofertando três terrenos. Qualquer um deles seria cedido para a contrução da nova cadeia. Em nota, a administração afirmou que aguarda a visita de membros do Governo do Estado, para decidir o local mais apropriado.

Fonte: odiario.com